Raimundo Lira nega chapa do “cada um por si” e afirma que na oposição “ninguém precisa de muleta”

Após desencontros nas últimas visitas de pré-campanha da oposição, foi levantado um possível desentendimento entre os senadores Raimundo Lira (PSD) e Cássio Cunha Lima (PSDB). Atrito já negado pelo próprio Lira na tarde desta quarta-feira (2). De acordo com o senador, os desencontros foram pontuais, e provocados por problemas de saúde do tucano, que teve que se ausentar mais rápido da visita a Itaporanga.

Cogitou uma possível “chapa cada um por si”, onde os senadores não se auxiliariam na busca por votos. Lira rechaçou essa conjuntura. “Não. Não é cada um por si. Isso foi uma matéria que saiu num blog e depois teve repercussão em outros setores da imprensa. O entendimento está absolutamente normal. Não está havendo nenhum tipo de desentendimento. Sempre que tiver a presença de Lucélio, estamos juntos na medida do possível também”, afirmou Raimundo Lira durante entrevista a uma rádio de João Pessoa. “Porque ninguém nessa coligação precisa de muleta, todos são agentes políticos importantes”, ressaltou.

O senador ainda tratou sobre os ataques a Lucélio, no tocante a adversários o tacharem como inexperiente na política. Para Lira, isso não passa de afirmativas infundadas – já que na última eleição geral, o pré-candidato ao governo pela oposição alcançou quase 500 mil votos. “Todos indagam se Lucélio tem história política e eleitoral. Tem. Em 2014 foi candidato, e só na Grande João Pessoa, que representa cerca de 28% dos eleitores da Paraíba, ele recebeu quase 51% dos votos válidos. O que mostra que é um candidato que tem força, que tem musculatura política”, disse.

 

 

Coordecom-Patos