São João de Patos 2018 faz toda a cidade arrastar o pé

No mês de junho, durante o São João de Patos 2018 – O Melhor do Brasil, a Prefeitura Municipal de Patos, através da Fundação Cultural de Patos – FUNDAP, fez com que a festa acontecesse nos quatro cantos da cidade, e para todo tipo de gosto.

Foram seis dias de muito arrasta pé no Terreiro do Forró com 29 atrações regionais e nacionais, 17 trios de forró nos dois coretos montados na Feira de Negócios: Vila São João e no Polo Gastronômico, em um espaço preparado especialmente para os quadrilheiros. Na Vila teve a feira de calçados, comércio de artesanatos, artigos de couro, gastronomia e ainda cursos de dança e de montagem de cactos ornamentais, sem falar no Casamento Comunitário de 50 casais e da tradicional Corrida da Fogueira.

No mesmo espaço, após a programação tradicional da Vila, aconteceu o São João Alternativo, realizado pelo Coletivo Espinho Branco com apoio da FUNDAP. Saindo do grande placo dos festejos, as lojas brilharam com o Concurso Cultural São João no Comércio, e nos bairros o Concurso Cultural São João na Minha Rua, levando a festa a todos os lugares da cidade, como é o caso da Rua 18 do Forte, onde foi realizada a tradicional queima de fogos.

As quadrilhas juninas deram vida aos bairros da cidade com muito forró através do apoio da FUNDAP, que destinou a subvenção de 120 mil reais à Associação de Quadrilhas Juninas de Patos. Para completar, a TV SOL com o apoio da FUNDAP levou o Sol João na Praça até as comunidades com música, dança e muita interatividade. E diretamente delas, as escolas deram um show com o tradicional Passeio das Carroças que reuniu em mais um ano escolas de toda a cidade. O Centro de Cultura Amaury de Carvalho também não ficou de fora do roteiro turístico com exposições de obras de artistas patoenses.

O São João de Patos esteve em todo lugar movimentando a cultura e de braços abertos para acolher os turistas e filhos da terra de volta a sua casa. Da FUNDAP, um sentimento de gratidão e felicidade por ter feito O Melhor São João do Brasil acontecer, e o que fica agora é a saudade na gente.

 
COORDECOM