Cássio não garante Maísa Cartaxo na sua suplência ao Senado: “Já tenho meu suplente, que é Deca”

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) revelou nesta segunda-feira (9) que não existe nenhuma definição quanto a primeira-dama de João Pessoa, Maísa Cartaxo (PV), ser a sua pré-candidata a suplente ao Senado. Professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Maísa se licenciou do cargo nos últimos dias, o que gerou especulações sobre uma possível postulação nas eleições deste ano. Na manhã desta segunda, Luciano Cartaxo (PV) confirmou que Maísa pode compor a chapa do cunhado, Lucélio Cartaxo (PV), ao Governo do Estado.

No entanto, Cássio pontuou que já tem um suplente, que é o empresário Deca do Atacadão, e que, além disso, outros partidos desejam a vaga na sua suplência.

“Não tem nenhuma definição quanto a isso, mas seria de fato uma honra poder ter essa participação. Não há uma definição porque isso não se define sob o caráter pessoal. Primeiro porque eu já tenho um suplente, que é o senador Deca, e tenho que conversar com ele sobre isso. Outros partidos também pleiteiam esse espaço na suplência, então Maísa se coloca como opção sim, ela cumpre o pré-requisito, porque já se desincompatibilizou e é sem dúvida uma mulher extraordinária”, disse.

O tucano também deixou de lado as críticas dos adversários políticos que entendem que a chapa encabeçada por Lucélio é “familiar”. Porém, afirmou que este fator terá peso na decisão final.

“Tudo isso será pesado, mas assim como na política e em outras atividades, o elemento da presença familiar é indiscutível. Se você olhar para a chapa do senador Maranhão, é o filho de um deputado federal na vice. Quando você olha para a chapa de João Azevêdo, a atual vice de Ricardo Coutinho é Lígia [Feliciano] que é esposa do deputado Damião [Feliciano], então essa é uma característica da política não só da Paraíba, mas quase que do nordeste do Brasil”, destacou.

Possível perda do apoio do PP

Cássio também comentou sobre um possível apoio do PP a alguma candidatura ao Governo do Estado que não seja a de Lucélio Cartaxo. Segundo o parlamentar, se isso acontecer, será “preciso conviver”.

“Qualquer apoio que você possa eventualmente perder você tem um prejuízo, mas você não pode conciliar com todo mundo, as vezes não é possível, e eu não estou considerando a hipótese de estar perdendo o PP, ou mesmo a parceria que tenho com Aguinaldo [Ribeiro], com a própria Daniella [Ribeiro]. Mas, se isso acontecer, vamos conviver com isso”, finalizou Cássio.

 

 

Blog do Gordinho