Banne 01

PARLAMENTARES FAZEM PEREGRINAÇÃO PARA DERRUBAR VETO A DESONERAÇÃO DA FOLHA

O texto aprovado pelo Congresso Nacional foi vetado na íntegra há uma semana pelo presidente.

Por Eduardo Rabêllo em 29/11/2023 às 13:20:46
O deputado Efraim Filho (União Brasil-PB), autor do projeto que prorroga a desoneração da folha. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O deputado Efraim Filho (União Brasil-PB), autor do projeto que prorroga a desoneração da folha. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Deputados de diferentes correntes iniciaram nesta terça-feira (28) uma peregrinação na C√Ęmara dos Deputados em busca de apoio para derrubar o veto do presidente Lula (PT) ao projeto que prorroga a desoneração da folha fiscal até 2027. O texto aprovado pelo Congresso Nacional foi vetado na íntegra h√° uma semana pelo presidente. A lei reduziria a alíquota previdenci√°ria de 17 setores da economia e municípios, o que, para o governo, significa deixar de arrecadar cerca de R$ 18 bilhões em impostos.

"Precisamos de mais emprego e menos arrecadação. É preciso inverter a lógica", disse o senador Efraim Filho (União Brasil-PB), autor da medida aprovada no Congresso. Efraim esteve ao lado de presidentes de dez frentes parlamentares do Congresso, que assinaram um manifesto pela derrubada do veto. Eles se dividiram em grupos, e passaram a percorrer gabinetes pedindo apoio.


Apesar do desconforto gerado com o Congresso, o governo j√° trabalhava com o veto antes mesmo de o projeto ter a votação finalizada no Parlamento. O impacto na √°rea fiscal, cerca de R$ 18 bilhões em renúncia, é o principal motivo.

O PL 334 de 2023 mantém o benefício da substituição da alíquota previdenci√°ria de empresas dos setores contemplados. Em vez de pagar 20% sobre a folha salarial, as companhias pagam alíquotas de 1% a 4,5% sobre a receita bruta.

Esses 17 setores estão entre os que mais empregam no país e representam 9 milhões de postos de trabalho. São eles: couro, calçados, call center, comunicação, t√™xtil, confecção e vestu√°rio, construção civil, empresas de construção e obras de infraestrutura, fabricação de veículos e carroçarias, m√°quinas e equipamentos, proteína animal, tecnologia da informação e de comunicação, projeto de circuitos integrados, transporte metroferrovi√°rio de passageiros, rodovi√°rio coletivo e de cargas.

O texto propõe também a redução da alíquota na folha de pagamento de 20% para 8% a todos os municípios com até 142 mil habitantes, o equivalente a 5.377 cidades. O governo poderia vetar somente essa parte, por exemplo.

Além dos R$ 9 bilhões em renúncia fiscal para os municípios, o valor estimado para a desoneração dos setores privados é de R$ 9,2 bilhões. Dessa forma, o governo deixaria de arrecadar ao ano ao menos R$ 18 bilhões.

congressoemfoco.uol.com.br


Comunicar erro
Banne 02

Coment√°rios

Banne 03